Sob alta pressão
Skip Ribbon Commands
Skip to main content

 Sob alta pressão


 Sob alta pressão  

Mitos e verdades sobre a hipertensão

Dados da Sociedade Brasileira de Hipertensão estimam que cerca de 25% da população brasileira adulta sofre com a doença, chegando a mais de 50% após os 60 anos. Ela também atinge 5% das crianças e adolescentes no país. Mas os dados ainda mais alarmantes são do estudo Vigitel, do Ministério da Saúde, que revela o aumento de 14,2% de casos de hipertensão arterial no Brasil nos últimos dez anos, principalmente entre mulheres.

A pressão alta ocorre quando o coração precisa fazer um esforço maior para bombear o sangue pelo corpo, principalmente por conta do enrijecimento dos vasos sanguíneos. “A doença, até então, era diagnosticada quando a pressão aferida apresentava valores iguais ou superiores a 14 por 9 em pacientes acima de 18 anos. Mas, recentemente, houve uma revisão dos valores de normalidade da pressão arterial pelas Sociedades Brasileiras de Cardiologia e Hipertensão, sendo que os valores considerados normais atualmente são de até 12 por 8 em adultos”, explica o Dr. Horácio Gomes Pereira Filho, cardiologista e coordenador de Métodos Gráficos do Grupo Fleury.

Segundo o médico, a doença oferece ameaças principalmente ao coração, ao sistema nervoso central, aos rins e aos olhos, com risco de perda da visão. Para se ter ideia, ela é responsável por 40% dos infartos, 80% dos derrames e 25% dos casos de insuficiência renal terminal.

Confira a seguir mitos e verdades sobre a hipertensão esclarecidos pelo Dr. Horácio Gomes Pereira Filho:

A hipertensão também está ligada ao envelhecimento // Verdade. As mudanças fisiológicas que acontecem com o avanço da idade deixam as artérias mais rígidas, fazendo com que o coração se esforce mais e aumente a pressão no sistema.

Consumir chás diuréticos normaliza o quadro // Mito. Apesar de medicamentos diuréticos muitas vezes serem prescritos pelos médicos para ajudar a controlar a pressão, os chás não são capazes de controlar a hipertensão sozinhos. E ainda podem levar a uma desidratação ou afetar função dos rins.

Noites mal dormidas interferem na pressão // Verdade. É durante o sono que o corpo se recupera e faz os ajustes metabólicos. Quando a pessoa não dorme adequadamente, aumentam-se os níveis de hormônios como adrenalina e noradrenalina, que causam vasoconstrição e levam à hipertensão.

O cigarro não aumenta a pressão // Mito. Além de nocivas, as substâncias presentes no cigarro causam a vasoconstrição arterial e, assim, elevam a pressão arterial.

É o excesso de peso que faz a pressão elevar // Mito. A obesidade e o sobrepeso causam a hipertensão, mas é pelo desequilíbrio hormonal e não pelo peso em si. Para se ter ideia, a gordura visceral produz substâncias que causam alterações metabólicas e inflamações, tendo a pressão alta como resultado.

A menopausa aumenta as chances das mulheres desenvolverem pressão alta // Verdade. O hormônio feminino (estrogênio) tem uma ação protetora no sistema cardiovascular (coração e vasos) das mulheres. Por isso, a queda dos níveis de estrogênio comum da menopausa as deixam mais suscetíveis aos problemas cardiovasculares, inclusive à hipertensão. Esse é um bom motivo para conversar com um especialista sobre a terapia de reposição hormonal.

O estresse interfere na hipertensão // Verdade. Momentos de estresse e a ansiedade fazem o organismo liberar o hormônio cortisol, que age no corpo contraindo os vasos.

Praticar atividade física ajuda a controlar a hipertensão // Verdade. Principalmente com os exercícios aeróbicos, é possível ter benefícios e controlar o quadro de pressão alta. Isso porque eles promovem a dilatação das artérias, além de liberarem hormônios relacionados ao bem-estar e potencializarem a redução de peso e gordura. São indicados 240 minutos de exercícios aeróbicos por semana (corrida, natação, bicicleta); ainda assim, aliados a uma alimentação saudável. Mas, é importante lembrar que todo exercício deve ter supervisão médica e de um profissional de educação física.

Sal em excesso piora o quadro de hipertensão // Verdade. O sal possui sódio, mineral que faz o organismo reter água para ser diluído. Em excesso, o líquido sobrecarrega o coração e faz elevar a pressão. Portanto, pessoas com a doença não devem apenas reduzir o sal da alimentação e apostar em ervas para temperar, mas também diminuir o consumo de alimentos industrializados, ricos em sódio – refrigerantes, embutidos, enlatados.

Exames recomendados

Para identificar e avaliar um quadro de hipertensão, o médico recomenda exames de ponta que você encontra nas unidades a+. Anote:

  • Eletrocardiograma de repouso: Verifica se um eventual quadro de pressão alta está trazendo alterações ao coração.
  • Raio-X de tórax: Confere o tamanho e os contornos do coração.
  • Mapa 24 horas: Trata-se de uma monitorização feita com um equipamento que registrará a pressão em vários momentos do dia, inclusive durante o sono.
  • Ecocardiograma: Cria imagens para avaliar toda a estrutura do coração e seu funcionamento.
  • Teste ergométrico: Avalia as alterações da pressão durante o esforço físico.
Peixe

Confira a dica da a+ Medicina Diagnóstica sobre peixes. Informações que mostram quais os benefícios que esse alimento pode proporcionar ao seu corpo.

Confira a lista completa de dicas da a+ para uma vida mais saudável