Conheça todas as vacinas que a a+ oferece para você e sua família!

Pensando na sua proteção e na de quem você mais ama, a a+ oferece diversas vacinas! O serviço está disponível, de segunda à sexta, na unidade Ilha do Leite e não é preciso agendar.

Confira abaixo nosso portfólio completo e todas as informações que você precisa saber!

>Vacina contra vírus influenza dos tipos A e B

-O que é?

Vacina inativada que contém proteínas de diferentes cepas do vírus Influenza definidas ano a ano conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

-Quais doenças ela previne?

Previne a gripe, infecção viral provocada pelos vírus influenza (cepas contidas na vacina).

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

Todas as pessoas a partir dos 6 meses de vida, especialmente aquelas de maior risco para infecções respiratórias, complicações e formas graves da doença.

-Contraindicações:

História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão e enduração local.

-Reações sistêmicas: febre, mal-estar e dor muscular.

-Doses e intervalos:

Crianças menores de 9 anos vacinadas pela primeira vez devem receber 2 doses com intervalo mínimo de 4 semanas entre elas. Apenas 1 dose é necessária nas demais situações.

>Vacina combinada contra hepatites A e B

-O que é?

Vacina inativada composta pela proteína de superfície do vírus da hepatite B e pelo vírus inativado da hepatite A.

-Quais doenças ela previne?

Hepatite A e hepatite B.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações

Crianças acima de 12 meses, adolescentes e adultos suscetíveis à hepatite A e à hepatite B e que precisam ser vacinados contra as duas doenças.

-Contraindicações:

História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão e enduração local.

-Reações sistêmicas como febre, irritabilidade, cansaço, dor de cabeça e desconforto gastrointestinal são pouco frequentes.

-Doses e intervalos:

-Crianças e adolescentes entre 1 e 16 anos: 2 doses com intervalo de 6 meses entre elas

-Adolescentes com mais de 16 anos e adultos: esquemas de três doses, com intervalo de um mês entre a primeira e a segunda doses e de seis meses entre a primeira e a terceira doses.

>Vacina contra Hepatite B, adulto e infantil

-O que é?

Vacina inativada composta por proteína de superfície do vírus da hepatite B purificado.

-Quais doenças ela previne?

Hepatite B.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

Indivíduos suscetíveis de todas as faixas etárias, incluindo as gestantes.

-Contraindicações:

História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão e enduração local.

-Reações sistêmicas como febre, irritabilidade, cansaço, dor de cabeça e desconforto gastrointestinal são pouco frequentes.

-Doses e intervalos:

-Na população infantil, a primeira dose deve ser realizada preferencialmente nas primeiras 12-24 horas após o nascimento, seguida de mais duas doses (aos 2 meses e aos 6 meses de idade).

-Para a população geral, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) recomenda o esquema de três doses, com intervalo de um mês entre a primeira e a segunda doses e de seis meses entre a primeira e a terceira doses.

-Para bebês prematuros, de acordo com a idade gestacional e o peso de nascimento, pode ser recomendada uma dose adicional.

-O número de doses também pode variar de acordo com a presença de algumas doenças crônicas ou comorbidades.

>Vacina contra Haemophilus influenzae tipo B

-O que é?

Vacina inativada, composta por partículas purificadas polissacarídicas da cápsula de Haemophilus influenzae tipo B.

-Quais doenças ela previne?

Doenças causadas pela bactéria Haemophilus influenzae tipo B, como pneumonias e meningites.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

-Crianças entre 2 meses e 5 anos de idade.

-Crianças acima de 5 anos, adolescentes e adultos que tenham alguma condição clínica associada a aumento do risco de complicações associadas à infecção pelo Haemophilus influenzae tipo B.

-Contraindicações:

História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão e enduração local.

-Reações sistêmicas como febre, irritabilidade, cansaço, dor de cabeça e desconforto gastrointestinal são pouco frequentes.

-Doses e intervalos:

-Lactentes menores de 12 meses: vacinação aos 2, 4 e 6 meses de vida e reforço após os 12 meses.

-Crianças a partir de 5 anos, adolescentes e adultos com doenças crônicas que justifiquem a vacinação e ainda não vacinados: podem ser recomendadas dose única ou duas doses com intervalo de dois meses entre elas, de acordo com a indicação clínica.

>Vacina combinada pentavalente

-O que é?

Imunizante combinado, que inclui as vacinas inativadas tríplice bacteriana acelular (DTPa), poliomielite inativada (VIP) e Haemophilus influenzae do tipo B (Hib).

Atenção! A vacina pentavalente oferecida pelo Sistema Único de Saúde nas Unidades Básicas de Saúde tem composição diferente da vacina pentavalente oferecida nas clínicas privadas de vacinação. Consulte sempre o seu pediatra.

-Quais doenças ela previne?

Difteria, tétano, coqueluche, poliomielite e doenças causadas pela bactéria Hib, como meningites e pneumonias.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

Crianças a partir de 2 meses, sempre que estiverem indicadas em conjunto as diferentes vacinas contempladas pelo imunizante. Pode ser usada até os 7 anos de idade.

-Contraindicações:

-História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Crianças que apresentaram encefalopatia nos sete dias seguintes à aplicação anterior de vacina contendo componente pertussis.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão, inchaço e enduração local.

-Reações sistêmicas: febre, perda de apetite, vômito, irritabilidade, choro persistente, sonolência.

-Doses e intervalos:

Como rotina aos 4 meses e no reforço dos 15 aos 18 meses, de acordo com as doses indicadas de cada componente da vacina.

>Vacina combinada hexavalente

-O que é?

Imunizante combinado, que inclui as vacinas inativadas tríplice bacteriana acelular (DTPa), poliomielite inativada (VIP), hepatite B e Haemophilus influenzae do tipo B (Hib).

-Quais doenças ela previne?

Difteria, tétano, coqueluche, poliomielite, hepatite B e doenças causadas pela bactéria Hib, como meningites e pneumonias.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

Crianças a partir de 2 meses, sempre que estiverem indicadas em conjunto as diferentes vacinas contempladas pelo imunizante. Pode ser usada até os 7 anos de idade.

-Contraindicações:

-História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Crianças que apresentaram encefalopatia nos sete dias seguintes à aplicação anterior de vacina contendo componente pertussis.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão, inchaço e enduração local.

-Reações sistêmicas: febre, perda de apetite, vômito, irritabilidade, choro persistente, sonolência.

-Doses e intervalos:

Como rotina aos 2 meses e aos 6 meses, de acordo com as doses indicadas de cada componente da vacina. Pode substituir a vacina combinada pentavalente aos 4 meses e no reforço dos 15 aos 18 meses, na indisponibilidade deste imunizante.

>Vacina contra Hepatite A

-O que é?

Vacina inativada composta por antígeno do vírus da hepatite A.

-Quais doenças ela previne?

Hepatite A.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

Indivíduos suscetíveis a partir dos 12 meses de vida.

-Contraindicações:

História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão e enduração local.

-Reações sistêmicas como febre e fadiga são pouco frequentes.

-Doses e intervalos:

-Duas doses da vacina com seis meses de intervalo entre elas.

-Para a população infantil, a aplicação rotineira aos 12 e 18 meses – ou o quanto antes, caso a vacinação não aconteça nessas idades – é aconselhada pelas Sociedades Brasileiras de Pediatria (SBP) e de Imunizações (SBIm).

>Vacina tríplice viral (vacina contra sarampo, caxumba e rubéola)

-O que é?

Vacina combinada, composta por vírus vivos e atenuados do sarampo, da caxumba e da rubéola.

-Quais doenças ela previne?

Sarampo, caxumba e rubéola.

-Como é aplicada?

Via subcutânea.

-Principais indicações: 

Crianças, adolescentes e adultos.

-Contraindicações:

-Indivíduos com doenças ou condições que cursam com imunossupressão.

-Gestantes.

-História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão e enduração local.

-Reações sistêmicas: febre, cefaleia, irritabilidade, vermelhidão nos olhos, exantema, dor articular.

-Doses e intervalos:

-Como rotina, em crianças a partir de 12 meses: uma dose aos 12 meses e outra aos 15 meses.

-Crianças mais velhas, adolescentes e adultos não vacinados ou sem comprovação de doses aplicadas: duas doses, com intervalo de 1 a 2 meses entre elas.

-Em situação de risco para o sarampo, a primeira dose pode ser aplicada a partir dos 6 meses de idade. Essa dose, porém, não conta para o esquema de rotina: continuam a ser necessárias duas doses a partir dos 12 meses, com intervalo mínimo de 1 mês.

>Vacina pneumocócica polissacarídica 23-valente

-O que é?

Vacina inativada, composta por partículas purificadas (polissacarídeos) das cápsulas de 23 tipos de Streptococos pneumoniae.

-Quais doenças ela previne?

Doenças causadas pelos 23 sorotipos da bactéria Streptococcus pneumoniae presentes na vacina. Tais doenças incluem pneumonias, otites e meningites, entre outras.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

-Crianças acima de 2 anos, adolescentes e adultos que tenham alguma condição clínica associada a aumento do risco de doença pneumocócica.

-Todos os adultos com mais de 65 anos.

-Contraindicações:

História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão, inchaço e enduração local.

-Reações sistêmicas: cefaleia, cansaço, dor muscular.

-Doses e intervalos:

Nos casos indicados para a vacinação com a vacina pneumocócica polissacarídica 23-valente (VPP23), recomenda-se a combinação da VPP23 com a vacina pneumocócica conjugada 13-valente (VPC13) da seguinte forma: a VPP23 deve ser aplicada de 6 a 12 meses após a VPC13. Uma segunda dose da VPP23 deve ser considerada, em alguns casos, 5 anos após a primeira dose.

>Imunoglobulina anti-Rh / imunoglobulina anti-D

-O que é?

Não é uma vacina, mas uma imunoglobulina humana – um tipo de anticorpo pronto – para prevenção da aloimunização Rh na gestação.

-Quais doenças ela previne?

Doença hemolítica do recém-nascido em gestações subsequentes.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

A recomendação da imunoglobulina anti-Rh para mulheres com tipo sanguíneo Rh negativo na gestação, parto ou intervenções ginecológicas deve seguir a orientação do médico assistente.

-Contraindicações:

As contraindicações à imunoglobulina anti-RH devem ser discutidas com o médico assistente.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão e enduração local.

-Reações sistêmicas como febre, calafrios e cefaleia são pouco frequentes. Reações alérgicas/anafiláticas são raras.

-Doses e intervalos:

Em gestação, parto e intervenções ginecológicas, a imunoglobulina deve ser aplicada em dose e intervalos que variam conforme o objetivo do tratamento.

-Observação:

É necessário agendar!

>Vacina quadrivalente contra papilomavírus humano (HPV), tipos 6, 11, 16 e 18

-O que é?

Vacina quadrivalente contra papilomavírus humano (HPV).

-Quais doenças ela previne?

Infecções persistentes e lesões pré-cancerosas causadas pelos tipos de HPV 6,11,16,18. Dessa forma, também previne o câncer de colo do útero, da vulva, da vagina, do ânus e verrugas genitais.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

-Meninas e mulheres de 9 a 45 anos de idade.

-Meninos e homens de 9 a 26 anos de idade.

-Contraindicações:

-História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Gestação.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão e enduração local.

-Reações sistêmicas: cefaleia, náuseas, vômitos.

-Doses e intervalos:

-Meninas e meninos que iniciam a vacinação entre 9 anos e 14 anos, 11 meses e 29 dias: 2 doses com 6 meses de intervalo entre elas.

-Indivíduos com 15 anos ou mais: 3 doses, com intervalo mínimo de 2 meses entre a primeira e a segunda dose e de 4 meses entre a segunda e a terceira dose.

>Vacina contra difteria, tétano, coqueluche acelular e poliomielite inativada

-O que é?

Imunizante combinado, que inclui as vacinas tríplice bacteriana acelular (dTpa) e poliomielite inativada (VIP).

-Quais doenças ela previne?

Difteria, tétano, coqueluche e poliomielite.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

Reforço na prevenção de tétano, difteria, coqueluche e poliomielite nas crianças acima de 4 anos de idade ou para qualquer pessoa acima desta faixa etária que necessita da imunização para os agentes contemplados na vacina.

-Contraindicações:

-História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Crianças menores de 4 anos.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: Dor, vermelhidão, inchaço e enduração local.

-Reações sistêmicas: febre, perda de apetite, irritabilidade, choro persistente, sonolência e vômitos.

-Doses e intervalos:

-Como rotina, no calendário de imunização infantil, é indicada como segundo reforço da imunização contra tétano, difteria, coqueluche e poliomielite, a partir dos 4 anos de idade.

-Pode substituir qualquer dose da dTpa, quando necessário.

>Vacina pneumocócica conjugada 13 valente

-O que é?

Vacina inativada, composta por 13 sorotipos do Streptococcus pneumoniae (pneumococo) conjugados com uma proteína.

-Quais doenças ela previne?

Doenças causadas pelos 13 sorotipos da bactéria Streptococcus pneumoniae presentes na vacina. Tais doenças incluem pneumonias, otites e meningites, entre outras.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

-Todas as crianças entre 2 meses e 6 anos de idade.

-Crianças a partir de 6 anos, adolescentes e adultos portadores de certas doenças crônicas.

-Todos os adultos com mais de 60 anos, embora liberada após 50 anos.

-Contraindicações:

História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão, inchaço e enduração local.

-Reações sistêmicas: febre, irritabilidade, sonolência, perda de apetite, diarreia, vômitos.

-Doses e intervalos:

O esquema de doses varia de acordo com a idade de início da imunização:                             -Lactentes menores de 12 meses: vacinação aos 2, 4 e 6 meses de vida e reforço entre 12 e 15 meses.

-Lactentes de 12 a 23 meses: duas doses, com intervalo de 8 semanas entre elas

-Crianças de 2 a 5 anos: dose única.

-Crianças a partir de 6 anos, adolescentes e adultos com doenças crônicas que justifiquem a vacinação e ainda não vacinados: dose única (para algumas condições específicas doses adicionais podem ser indicadas).

-Indivíduos com mais de 50 anos: dose única.

-Observação:

Para pessoas com algumas doenças crônicas específicas e para os idosos, pode ser indicada a complementação da imunização com a vacina pneumocócica polissacarídica 23-valente.

>Vacina contra Herpes Zóster

-O que é?

Vacina composta por vírus vivos atenuados da varicela zoster.

-Quais doenças ela previne?

Doenças causadas pelos 13 sorotipos da bactéria Streptococcus pneumoniae presentes na vacina. Tais doenças incluem pneumonias, otites e meningites, entre outras.

-Como é aplicada?

Via subcutânea.

-Principais indicações: 

Liberada para uso a partir dos 50 anos. Recomendada como rotina para maiores de 60.

-Contraindicações:

-História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Indivíduos com doenças ou condições que cursam com imunossupressão.

-Gestação.

-Reações adversas mais comuns:

Reações locais: dor, vermelhidão, prurido e inchaço local.

-Doses e intervalos:

Dose única.

>Vacina contra varicela

-O que é?

Vacina composta por vírus vivos e atenuados da varicela.

-Quais doenças ela previne?

Varicela (catapora).

-Como é aplicada?

Via subcutânea.

-Principais indicações: 

Crianças, adolescentes e adultos suscetíveis.

-Contraindicações:

-Indivíduos com doenças ou condições que cursam com imunossupressão.

-Gestantes.

-História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão e enduração local; podem aparecer vesículas próximas ao sítio de aplicação.

-Reações sistêmicas: febre, exantema maculopapular ou variceliforme.

-Doses e intervalos:

-Como rotina, a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda para crianças a partir de 12 meses: uma dose aos 12 meses e outra entre os 15 meses e os 24 meses.

-Observação! O Programa Nacional de Imunizações (PNI) disponibiliza a primeira dose da vacina contra varicela aos 15 meses, como parte da vacina tetraviral (SCR-V) e, a segunda dose, aos 4 anos de idade.

-Observação:

-Vacina tetraviral (SCR-V): A vacina tetraviral (SCR-V) é uma vacina combinada que inclui a tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e a varicela.

-Nas crianças, quando as segundas doses das vacinas tríplice viral e varicela coincidem, a SCR-V pode ser utilizada. A SCR-V também está recomendada para crianças que precisam ser imunizados para sarampo, caxumba, rubéola e varicela. A SRC-V não deve ser utilizada em crianças com 12 anos ou mais.

>Vacina pentavalente contra rotavírus

-O que é?

Vacina oral, composta por cinco tipos de rotavírus vivos e atenuados.

-Quais doenças ela previne?

Diarreia por rotavírus e suas complicações.

-Como é aplicada?

Via oral.

-Principais indicações: 

Bebês de 6 semanas até 7 meses e 29 dias.

-Contraindicações:

-Bebês com menos de 6 semanas ou mais de 8 meses e zero dias de vida.

-Bebês com doenças ou condições que cursam com imunossupressão.

-História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-História de doença crônica ou malformação do aparelho gastrintestinal ou história prévia de invaginação intestinal.

-Reações adversas mais comuns:

Sintomas de gastroenterite.

-Doses e intervalos:

Como rotina, em crianças a partir de 6 semanas de vida: três doses, com intervalo mínimo de 4 semanas entre elas. A primeira dose deve ser obrigatoriamente aplicada até 3 meses e 15 dias e a última dose até 7 meses e 29 dias.

>Vacina meningocócica conjugada quadrivalente ACWY

-O que é?

Vacina inativada, composta por antígenos das cápsulas dos meningococos dos sorogrupos A, C, W e Y conjugados a uma proteína que varia conforme o fabricante.

-Quais doenças ela previne?

Meningite e infecções generalizadas causadas pela bactéria meningococo dos tipos A, C, W e Y.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

-Crianças a partir dos 2 meses e adolescentes não previamente vacinados.

-Viajantes, adultos e idosos, dependendo do risco epidemiológico.

-Pessoas de qualquer idade com condições clínicas que aumentam o risco para a doença meningocócica.

-Contraindicações:

História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão, inchaço e enduração local.

-Reações sistêmicas: febre, mal-estar, irritabilidade, sonolência, perda de apetite, dor muscular ou articular, náuseas, vômitos, cefaleia, cansaço.

-Doses e intervalos:

O esquema de doses varia de acordo com a idade de início da imunização:

-Lactntes menores de 6 meses: 2 doses com intervalo mínimo de 8 semanas entre elas, seguidas de uma dose de reforço após 1 ano.

-Lactentes de 6 a 24 meses: o número de doses varia conforme o fabricante

-Crianças acima de 2 anos e adolescentes: dose única.

-As crianças e os adolescentes devem ainda receber uma dose de reforço 5 anos após a última dose.

-Adultos: dose única (para algumas condições específicas doses adicionais podem ser indicadas).

>Vacina recombinante contra meningococo B

-O que é?

Vacina inativada, composta por três proteínas subcapsulares e vesículas da membrana externa do meningococo B.

-Quais doenças ela previne?

Meningite e infecções generalizadas causadas pela bactéria meningococo tipo B.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

-Crianças a partir dos 2 meses e adolescentes não previamente vacinados.

-Viajantes e adultos até 50 anos, dependendo do risco epidemiológico.

-Pessoas de qualquer idade com condições clínicas que aumentam o risco para a doença meningocócica.

-Contraindicações:

História de alergia grave (anafilaxia) a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão, inchaço e enduração local.

-Reações sistêmicas: febre, mal-estar, irritabilidade, sonolência, perda de apetite, dor muscular ou articular, náuseas, vômitos, cefaleia, indisposição.

-Doses e intervalos:

O esquema de doses varia de acordo com a idade de início da imunização:

-Lactentes menores de 12 meses: 2 doses com intervalo mínimo de 8 semanas entre elas, seguidas de uma dose de reforço no segundo ano de vida, respeitando um intervalo mínimo de 8 semanas em relação à vacinação primária.

-Lactentes de 12 a 24 meses: 2 doses com intervalo mínimo de 8 semanas entre elas, seguidas de uma dose de reforço de 12 a 23 meses após a vacinação primária.

-Crianças acima de 2 anos e adultos: 2 doses com intervalo mínimo de 4 semanas entre elas.

>Vacina tríplice bacteriana acelular do adulto

-O que é?

Vacina inativada composta pelos toxoides diftérico e tetânico e por componentes da cápsula da Bordetella pertussis.

-Quais doenças ela previne?

Difteria, tétano e coqueluche.

-Como é aplicada?

Via intramuscular.

-Principais indicações: 

-Reforço em crianças acima dos 7 anos de idade, adolescentes e adultos.

-Gestantes.

-Contraindicações:

História de alergia grave (anafilaxia) ou sintomas neurológicos associados a algum componente da vacina ou à dose anterior.

-Reações adversas mais comuns:

-Reações locais: dor, vermelhidão e enduração local; podem aparecer vesículas próximas ao sítio de aplicação.

-Reações sistêmicas: febre, irritabilidade, sonolência, fadiga, perda de apetite, cefaleia, vômito, diarreia.

-Doses e intervalos:

-Para crianças com mais de 7 anos, adolescentes e adultos que não tomaram ou sem registro de três doses de vacina contendo o toxoide tetânico anteriormente, recomenda-se uma dose de dTpa seguida de uma ou duas doses da dupla adulto (difteria e tétano – dT).

-Reforço na adolescência, adultos e idoso.

-As gestantes devem receber uma dose de dTpa, a cada gestação, a partir da 20ª semana. Se não vacinadas durante a gravidez, devem receber uma dose após o parto, o mais precocemente possível.

>Observações Gerais:

-As vacinas disponíveis na rede privada e na rede pública podem ser diferentes. Em caso de dúvidas, converse com seu médico ou entre em contato com a nossa Central de Atendimento.

-As indicações e contraindicações às vacinas, assim como as doses recomendadas podem variar de acordo com determinadas condições clínicas apresentadas. Por isso, antes da vacinação, converse sempre com seu médico.

-Não é recomendada a vacinação na presença de febre nas últimas 48 horas


Por Grupo Fleury - Fonte das Informações: Sociedade Brasileira de Imunizações

21/05/2021


21/05/21

21 de maio de 2021

Compartilhar: