É possível ter HPV mesmo tendo tomado a vacina?

O HPV é a sigla para Papiloma Vírus Humano, uma infecção sexualmente transmissível que por vezes não causa sintomas, mas pode provocar verrugas genitais em homens e mulheres. A transmissão ocorre durante o sexo, seja ele vaginal, anal ou oral.

Segura, a vacina é recomendada para crianças e adultos, de 9 anos a 45 anos. No SUS, ela é gratuita para as seguintes pessoas:

- Meninas e meninos de nove a 14 anos;

- Pessoas que vivem com HIV;

- Pessoas com doenças autoimunes, em uso de medicamentos imunossupressores, pacientes oncológicos, que são candidatos ou que receberam transplantes de órgãos sólidos ou de medula óssea.

Atualmente, duas vacinas contra o HPV estão disponíveis no Brasil, a quadrivalente e a nonavalente. Por enquanto, somente a quadrivalente está disponível no SUS.

Há mais de 100 tipos de HPV e a vacina protege contra os tipos mais comuns que são  responsáveis pelas verrugas anogenitais e pelas lesões pré-câncer e câncer de colo uterino, vagina, vulva, ânus, pênis e orofaringe. A maior eficácia da vacina ocorre quando o indivíduo ainda não foi exposto ao vírus. Por esse motivo, é importante receber a imunização antes do início da atividade sexual. Além disso, ela não serve como tratamento de doenças causadas pelos tipos de HPV.

No entanto, mesmo que a pessoa já tenha iniciado a vida sexual e não teve oportunidade de ser imunizada anteriormente, a vacinação é importante para ajudar na prevenção das doenças causadas pelo HPV.

Por isso, é essencial manter o acompanhamento anual com um ginecologista e realizar os exames preventivos sempre que recomendados.


17/03/23

17 de março de 2023

Compartilhar:

Últimas Notícias

    Ver todas as notícias