Anticorpo anti-Znt8 no diagnóstico do diabetes mellitus tipo 1

O diabetes mellitus tipo 1 (DM1) é uma doença multifatorial, na qual a predisposição genética e a exposição a fatores ambientais levam à perda da função das células beta e à consequente diminuição progressiva da secreção de insulina. Costuma ser mais comum em crianças e adultos jovens, embora possa ocorrer em qualquer idade.

A forma imunomediada (DM tipo 1A) representa de 80% a 90% do DM1, com positividade para os clássicos autoanticorpos antitirosinofosfatase (anti-IA-2), anti-insulina e antidescarboxilase do ácido glutâmico (anti-GAD). Entre os indivíduos que desenvolvem essa forma da doença, 90-94% apresentam um ou mais desses anticorpos positivos.

Em 2004, Chimienti et al descobriram, nas células betapancreáticas, a proteína que transporta o zinco (Znt8) do citoplasma para os grânulos de insulina e tem participação importante no armazenamento e na secreção do hormônio.

Em condições normais, a insulina fica armazenada na forma de hexâmetros insolúveis, formando complexos com zinco e cálcio (6 insulina + 2 Zn2+ + 1 Ca2+). Não está claro se o anticorpo contra o transportador de zinco 8 (anti-Znt8) é apenas um marcador de autoimunidade ou se participa da fisiopatologia do DM tipo 1ª.

De qualquer maneira, o anti-Znt8 fi gura como um marcador do DM1, sendo observado em 60% a 80% das crianças e em 20-40% dos adultos com a doença.

A inclusão da determinação do anti-Znt8 ao painel que inclui anticorpos clássicos na investigação do DM tipo 1A (anti-insulina, anti-GAD e anti-IA-2) aumenta a sensibilidade da detecção de autoimunidade em cerca de 4%, chegando a 98%. Isso corresponde a uma reclassificação de pacientes com DM1 considerados negativos para autoimunidade da ordem de 14% a 26%.

O fato é que, assim como outros autoanticorpos, o anti-Znt8 geralmente precede o DM1 em alguns anos e, portanto, não apenas corrobora o diagnóstico, mas também pode predizer o risco de progressão para a doença em indivíduos assintomáticos com história familiar positiva.

Com o intuito de aumentar o potencial diagnóstico de pacientes portadores de DM1, a dosagem desse anticorpo também faz parte do portfólio de exames realizados na a+ Medicina Diagnóstica.


Quem pode se beneficiar da pesquisa de anti-Znt8
- Indivíduos com os três anticorpos clássicos negativos (anti-insulina, anti-GAD e anti-IA-2)
- Indivíduos com diabetes de etiologia incerta ou curso clínico atípico:
. Diabetes com cetose que claramente não é DM1
. Obesos com diabetes de início agudo com cetoacidose
. Magros com diabetes sem cetose
- Indivíduos com alto risco de desenvolver DM1, no contexto de pesquisa clínica


Referências bibliográficas 

1. Davidson HW, Wenzlau JM, O’Brien RM. Zinc transporter 8 (ZnT8) and β cell function. Trends Endocrinol Metab. 2014 Aug;25(8):415-24. doi: 10.1016/j. tem.2014.03.008. Epub 2014 Apr 18. PMID: 24751356; PMCID: PMC4112161.

2. Andersson C, Vaziri-Sani F, Delli A, Lindblad B, Carlsson A, Forsander G, Ludvigsson J, Marcus C, Samuelsson U, Ivarsson S, Lernmark A, Larsson HE; BDD Study Group. Triple specifi city of ZnT8 autoantibodies in relation to HLA and other islet autoantibodies in childhood and adolescent type 1 diabetes. Pediatr Diabetes. 2013 Mar;14(2):97-105. doi: 10.1111/j.


Consultoria médica 

Dra. Ana Beatriz Andreo
[email protected]

Dra. Flávia Barbosa
[email protected]  

Dra. Graciela Bussiki Correa da Costa
[email protected] 

Dra. Stella Dias
[email protected] 

Conteúdo científico elaborado por:

Dr. Pedro Saddi
Dra. Milena Teles


12/05/21

12 de maio de 2021

Compartilhar: