Conheça as diferenças entre os testes diagnósticos para Covid-19

Um ano depois que a Organização Mundial de Saúde declarou a pandemia de Covid-19, diversos tipos de teste foram desenvolvidos para o diagnóstico da infecção.

Mas você sabe qual é a diferença entre eles e para que serve cada um? Essas informações são muito importantes para escolher o teste certo para cada situação. Afinal, se tem muita gente que realiza esses exames porque um médico os solicita, outras pessoas os fazem devido aos protocolos de segurança de seu local trabalho ou por motivo de viagem.

Veja, a seguir, as características dos testes diretos, que pesquisam o alvo genético ou proteico do Sars-Cov-2, e dos testes indiretos, que identificam anticorpos contra o vírus.

 

Testes diagnósticos diretos para a pesquisa de alvo genético ou proteico do vírus

PCR em tempo real

Mais indicado para o diagnóstico da Covid-19, o teste é usado para uma pessoa saber se está com a doença no momento. Baseia-se na detecção do material genético do vírus em amostras coletadas nas vias respiratórias por meio de um swab, tipo de cotonete grande, introduzido no nariz e na garganta.

Como o exame consegue detectar a presença do próprio vírus, a coleta da amostra deve ser feita quando há suspeita de infecção, preferencialmente na primeira semana de sintomas. Apesar disso, seu uso pode se estender a indivíduos sem sintomas, em protocolos de prevenção de transmissão, como viagens aéreas, internações em hospitais, procedimentos cirúrgicos e outras situações.

Por se tratar de uma técnica de alta complexidade, necessita de estrutura laboratorial especializada para sua realização. Por isso, o prazo de resultado é de um dia. A acurácia dos resultados fornecidos por essa metodologia depende de rigorosos protocolos de controle de qualidade, realizados rotineiramente pela a+ Medicina Diagnóstica

O teste é aceito por todas as companhias aéreas e países de destino para comprovar, em caso de resultado negativo, que uma pessoa não está infectada pelo novo coronavírus.


Método
PCR em tempo real
Tipo de amostra
Swab por via nasal e oral
Prazo de resultado
Um dia
Vantagens
- Padrão-ouro para o diagnóstico de Covid-19
- Acurácia dependente de rigorosos protocolos de controle de qualidade, realizados rotineiramente pela a+
- Metodologia aceita por todas as companhias aéreas e países de destino
Aplicação do teste
- Diagnóstico de Covid-19 em pessoas sintomáticas (para saber se há infecção no momento)
- Em indivíduos sem sintomas, pode ser indicado em protocolos de prevenção de transmissão, como viagens aéreas, internações em hospitais, procedimentos cirúrgicos e outras situações, considerando as exigências de cada instituição
Comentário
A coleta pode gerar incômodo


PCR em tempo real na saliva

O exame é realizado pela mesma técnica de PCR em tempo real do teste colhido com swab, com a diferença de que a análise utiliza saliva como amostra. Isso torna a coleta mais confortável para o paciente e diminui o risco de eliminação de gotículas contaminantes no ambiente, aumentando, assim, a segurança de todos.

A sensibilidade do teste é ligeiramente menor quando comparada à do feito em material coletado das vias respiratórias, o que significa, na prática, que, de 100 exames positivos para o novo coronavírus pela pesquisa tradicional, em secreções respiratórias colhidas com swab, o efetuado em saliva consegue identificar 94 casos positivos.

Antes de usar esse exame para viagens, convém verificar, com a companhia aérea e com o local de destino, se a análise em saliva pode ser aceita em substituição à realizada em secreções das vias respiratórias (swab). A metodologia, vale reforçar, é a mesma nos dois testes.


Método
PCR em tempo real
Tipo de amostra
Saliva
Prazo de resultado
Um dia
Vantagens
Maior comodidade e praticidade na coleta
Aplicação do teste
- Diagnóstico de Covid-19 em pessoas sintomáticas (para saber se há infecção no momento)
- Em indivíduos sem sintomas, pode ser indicado em protocolos de prevenção de transmissão, como viagens aéreas, internações em hospitais, procedimentos cirúrgicos e outras situações, considerando as exigências de cada instituição
Comentários
- Ligeiramente menos sensível quando comparado ao exame feito em amostra de vias respiratórias (swab): 94%
- Em caso de viagem, vale verificar se a companhia aérea e o local de destino aceitam o exame em amostra de saliva

 

Teste molecular rápido 

Assim como a PCR, o teste molecular rápido detecta o material genético do vírus em amostra coletada das vias respiratórias. A diferença é que a técnica passou por adaptação para execução em equipamentos pequenos e de fácil manuseio, de forma que a análise possa ocorrer no mesmo local de atendimento dos pacientes. Isso permite agilizar a liberação dos resultados.

Na suspeita de infecção pelo novo coronavírus, a coleta também deve ser feita na primeira semana do quadro clínico. A concordância do resultado com o obtido por meio da PCR é de praticamente 100%, desde que a amostra seja colhida até o sétimo dia de sintomas.

Para algumas situações de prevenção de transmissão, como em cirurgias, o teste pode, eventualmente, substituir a PCR tradicional, dependendo dos protocolos de cada instituição. Em caso de viagem, porém, é importante checar, com a companhia aérea e com o local de destino, se essa técnica pode ser aceita em lugar do teste processado no laboratório.


Método
Teste molecular rápido
Tipo de amostra
Swab por via nasal e oral
Prazo do resultado
Até quatro horas
Vantagens
Resultado rápido, mantendo a sensibilidade da PCR na primeira semana de sintomas
Aplicação do teste
- Diagnóstico de Covid-19 em pessoas sintomáticas (para saber se há infecção no momento) até o sétimo dia de sintomas, preferencialmente entre o terceiro e sétimo dias
- Em indivíduos sem sintomas, pode ser indicado em protocolos de prevenção de transmissão, como viagens aéreas, internações em hospitais, procedimentos cirúrgicos e outras situações, considerando as exigências de cada instituição
Comentários
- Eventual menor sensibilidade em pessoas com mais de sete dias de sintomas ou sem sintomas
- Em caso de viagem, convém verificar se a companhia aérea e o local de destino aceitam essa técnica em substituição ao teste convencional


Teste rápido de antígeno

O exame também está indicado para confirmar a doença na fase sintomática, preferencialmente nos primeiros cinco dias de sintomas.

Diferentemente da PCR e do teste molecular rápido, que detectam o material genético do vírus, o teste identifica partes da estrutura viral, o que o torna um pouco menos sensível. Ou seja, de cada 100 casos positivos encontrados pela PCR, o teste de antígeno flagra 96. Assim, sua sensibilidade alcança 96%, mas por um período mais curto, isto é, até o quinto dia de sintomas.

A vantagem desse método está na rapidez da liberação dos resultados, o que possibilita, nos casos positivos, a adoção rápida das medidas de restrição de contágio. Por outro lado, nos resultados negativos, deve-se considerar a necessidade de prosseguir a investigação com uma pesquisa por PCR, se a suspeita persistir.

Embora o teste de antígeno seja oferecido em outros estabelecimentos, como farmácias, sua realização em laboratório garante o controle de qualidade e a interpretação dos resultados por profissionais especializados, sob supervisão da consultoria médica, assim como a observação de rigorosos procedimentos de limpeza e desinfecção das áreas de coleta e de circulação de pessoas sintomáticas. Ademais, a técnica usada na a+ para identificar o antígeno do vírus tem sensibilidade maior que a de outros kits oferecidos no mercado.

Vale reforçar que o método ainda não é aceito na maioria das companhias aéreas e destinos de viagem. Se esse for o objetivo da testagem, a PCR em tempo real configura a escolha mais acertada.


Método
Imunocromatografia
Tipo de amostra
Swab via nasal
Prazo de resultado
Duas horas
Vantagens
- Liberação muito rápida do resultado
- Controle de qualidade feito em laboratório e supervisão da consultoria médica
- Rígidos protocolos de segurança adotados nas dependências do laboratório
Aplicação do teste
- Diagnóstico de Covid-19 até o quinto dia de sintomas, preferencialmente entre o terceiro e quarto dias
- Adoção de medidas de prevenção de contágio com agilidade
- Ideal para pessoas que não precisam permanecer hospitalizadas, uma vez que pode confirmar o diagnóstico rapidamente, sem necessidade de atendimento de emergência ou, no caso de haver procura por serviços de saúde, com agilidade na alta
- Garantia de controles de qualidade e protocolos de segurança rigorosos quando feito em laboratório
Comentários
- Sensibilidade menor, quando comparado à PCR, para pessoas que estão há mais tempo com sintomas
- Não aceito ainda pela maioria das companhias aéreas e locais de destino

 

Testes diagnósticos indiretos para a detecção de anticorpos contra o vírus 

Pesquisa de anticorpos IgG e IgM

O exame está indicado para saber se a pessoa teve Covid-19 anteriormente e detecta anticorpos contra a proteína N do vírus, que são produzidos por cerca de 90% dos indivíduos até 28 dias após a infecção.

A análise utiliza amostra de sangue, que deve ser coletada, idealmente, pelo menos 14 dias após o início dos sintomas ou 21 dias após a exposição de risco.


Método
Quimioluminescência/eletroquimioluminescência
Tipo de amostra
Sangue
Prazo de resultado
 Um dia útil
Vantagens
Uso de dois métodos diferentes para cada amostra analisada: um que detecta a presença dos anticorpos, e outro que discrimina se são da classe IgG e/ou IgM. Essa estratégia reduz muito a possibilidade de resultados falso-positivos ou falso-negativos e fornece mais informações para a interpretação do resultado.
Aplicação do teste
- Diagnóstico prévio de Covid-19, independentemente de ter havido sintomas
- Em protocolos de prevenção de transmissão de alguns países de destino, que têm exigido, além da RT-PCR, também a sorologia como requisito para entrada em seu território
Comentários
- Possibilidade de ocorrerem resultados indeterminados e falso-positivos, principalmente para IgM
- Em algumas situações, há necessidade de fazer seguimento sorológico para elucidação diagnóstica
- Pacientes assintomáticos ou que apresentaram sintomas leves podem levar mais tempo para ter o exame positivo ou nem produzir anticorpos perceptíveis com as técnicas utilizadas
- Não aplicável à avaliação de resposta do organismo à vacina contra Covid-19


Pesquisa de anticorpos neutralizantes

O exame tem indicação para saber se a pessoa apresenta anticorpos protetores contra o novo coronavírus, seja por infecção anterior, seja como resposta à vacina, e, para tanto, identifica anticorpos neutralizantes contra a proteína S do vírus. A análise é feita no sangue, que deve ser coletado, idealmente, pelo menos 14 dias após o início dos sintomas ou 21 dias depois da exposição de risco. Para avaliar a resposta à vacina, a coleta tem de ser feita 30 dias depois do recebimento da última dose do imunizante.


Método
Quimioluminescência/imunoenzimático funcional
Tipo de amostra
Sangue
Prazo de resultado
Quatro dias úteis
Vantagens
Uso de dois métodos diferentes: um que detecta os anticorpos antiproteína spike e outro (imunoenzimático) para confirmar e quantificar a função neutralizante dos anticorpos nas amostras positivas na primeira etapa
Aplicação do teste
- Pesquisa de anticorpos neutralizantes em pessoas que tiveram Covid-19 ou exposição anterior ao vírus
- Avaliação de resposta em indivíduos vacinados contra a Covid-19
Comentários
- Pacientes assintomáticos ou que apresentaram sintomas leves podem levar mais tempo para ter o exame positivo ou nem produzir anticorpos perceptíveis com as técnicas utilizadas
- Níveis altos de anticorpos neutralizantes podem requerer mais de 21 dias para se estabelecer, podendo ser necessário o seguimento sorológico
- A utilidade do teste para a avaliação da resposta vacinal ainda precisa ser mais bem compreendida


Clique aqui e faça o download do manual de exames de Covid-19.pdf


Clique aqui para informações sobre agendamento


Consultoria médica

Dra. Ana Beatriz Andreo
[email protected]

Dra. Flávia Barbosa
[email protected]

Dra. Graciela Bussiki Correa da Costa
[email protected]

Dra. Stella Dias
[email protected]


Conteúdo científico elaborado por:

Dra. Carolina Santos Lázari
Dr. Celso Granato


23/03/21

23 de março de 2021

Compartilhar: